Quem Somos

logopetcópia (1)


História

Criado e implantado em 1979 pela CAPES, o PET – Programa Especial de Treinamento – é um Programa acadêmico direcionado a alunos regularmente matriculados em cursos de graduação. Até o ano de 1999, o Programa foi coordenado pela CAPES. A partir de 31 de dezembro de 1999, o PET teve sua gestão transferida para a Secretaria de Educação Superior – SESu/MEC, ficando sob a responsabilidade do Departamento de Projetos Especiais de Modernização e Qualificação do Ensino Superior – DEPEM. São objetivos deste Programa: a melhoria do ensino de graduação, a formação acadêmica ampla do aluno, a interdisciplinaridade, a atuação coletiva e o planejamento e execução, em grupos sob tutoria, de um programa diversificado de atividades acadêmicas.

“O PET representa, em menor proporção, a Universidade que queremos para o futuro”

O Programa de Educação Tutorial (PET) constitui-se atualmente em um dos poucos programas sustentados pelo Ministério da Educação (MEC) que busca manter e promover a qualidade acadêmica no ensino superior brasileiro. Um dos poucos porque muitos mesmo são os problemas enfrentados pela universidade hoje, entre os quais se pode destacar a falta de verbas públicas para a prática de uma educação de excelência e a conseqüente debilidade que esta escassez acarreta para as Universidades: a perda de autonomia na construção do conhecimento, uma vez que, a escassez de recursos destinados à prática educacional nas faculdades como um todo, colocam-nas diante da necessidade de se voltarem à iniciativa privada para a captação dos recursos necessários, atrelando o saber nelas construído e ensinado às voláteis demandas do mercado.

O PET funciona seguindo uma lógica contrária a esta perversa forma de privatização do conhecimento, pois, os bolsistas que se integram ao programa são inseridos em um grupo organizado segundo um sistema de tutoria liderado por um professor-tutor, responsável por orientá-los na formulação de atividades de ensino, pesquisa e extensão segundo um norte acadêmico vinculado aos principais problemas do país, numa perspectiva crítica e também interdisciplinar. O grupo é formado por um Tutor (professor do departamento) e 12 bolsistas (alunos do curso de graduação onde o grupo está alocado), todos com uma carga horária semanal de 12 hs, admitindo-se a participação de voluntários, os quais nem por isso devem deixar de cumprir a mesma carga horária dos bolsistas, ou então de estudantes que queiram tornar-se colaboradores do grupo caso tenham interesse em participar de atividades específicas organizadas pelo grupo PET, como uma pesquisa sobre determinado tema.

Partindo do pressuposto de que o saber não pode ser algo que se esgota naquele que procura conhecer, mas que somente pode realizar-se se estiver aberto ao mundo para de fato conhecê-lo em sua totalidade, a metodologia de trabalho do grupo PET costuma unir em sua prática acadêmica as esferas do ensino, da pesquisa e da extensão. No âmbito da pesquisa, cada integrante dispõe da liberdade de escolher o tema que irá abordar, assim como o de se dirigir ao orientador com o qual possuir maior afinidade. No âmbito do ensino o grupo promove eventos que tem como público alvo os alunos da graduação, não só os de seu curso como também os dos demais cursos da universidade, tais como palestras, mini-cursos, seminários e outros. No âmbito da extensão o grupo procura integrar a o conhecimento construído na faculdade, com setores importantes da sociedade e da universidade, como movimentos sociais e trabalhadores da universidade.

O impacto imediato do PET, na faculdade que o abriga, é o aumento da qualidade de seu curso de graduação, pois, para muito além das atividades de sala de aula que se passam diariamente na faculdade, esta passa a ser palco para uma série de atividades extracurriculares organizadas pelos bolsistas petianos. Assim, através da organização de palestras sobre os mais diversos temas, ou de mini-cursos e seminários especializados aos temas do curso de graduação em que estão, os petianos deixam de ser apenas os sujeitos de suas próprias atividades de pesquisa feitas no grupo, tornando-se arquitetos de um ambiente acadêmico muito mais rico, no qual vão ganhando vida atividades diversas que devem ser de interesse para a formação de todos os alunos da faculdade.

Em nossa Universidade Federal Fluminense (UFF) existem 04 grupos PET´s: este da economia, um na geografia e outros dois na engenharia (mecânica e Telecomunicações). No Estado do Rio de Janeiro existem 14 grupos, estando 4 deles na UFRJ, outros 4 na PUC e mais 2 na UERJ. Ao todo, em favor do sudeste atualmente existem 300 grupos que se espalham desigualmente pelas regiões do Brasil, com nítida predominância para as áreas do saber que estão mais estreitamente vinculadas aos interesses da administração, da engenharia e da produção nacionais, o que seria de se esperar no Brasil, país capitalista que depois de cinco séculos ainda luta contra o subdesenvolvimento sócio-econômico.

Com o intuito de melhor desenvolver a educação tutorial no país, são realizados encontros regionais e nacionais envolvendo os grupos de todo o país, nos quais os diferentes grupos trocam experiências buscando maneiras mais eficientes de atuar junto à sociedade e contribuir no desenvolvimento da mesma. Ocorrem encontros periódicos dentro da própria instituição de ensino superior (Intra-PET), um encontro Estadual por semestre (Inter-PET), um encontro regional por ano (Sudeste-PET) que este ano foi realizado na UFF entre os dias 13 e 16 de abril de 2006 e por fim, um encontro Nacional também anual (ENAPET) que este ano será realizado em Florianopólis junto com a SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência).

Os estudantes selecionados que se tornam bolsistas deste programa, quando passam a participar ativamente da organização das atividades acadêmicas do PET em sua faculdade, acabam tornando-se petianos, quer dizer, se identificam de tal forma com a filosofia que orienta o programa que passam defendê-lo como parte de um novo modelo de universidade, onde todos os estudantes possam ter a oportunidade de viver a vida universitária como uma época rica de aprendizados em todos os sentidos humanos.

Na UFF são 4 grupos: Economia, Eng. de Telecomunicações, Eng. Mecânica e Geografia. Este programa tem como principais objetivos melhorar a graduação e contribuir para a formação ampla do aluno, ou seja, ampliar os conhecimentos além das fronteiras da sala de aula, abordando temas e questões diversas.

Thales Viana F. dos Santos
(ex petiano do Pet Economia UFF)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s