BALANÇA COMERCIAL – 2º TRIMESTRE DE 2012

Luhan Martins Reigoto

O segundo trimestre de 2012 apresentou, em geral, dois movimentos distintos, um crescimento frente ao primeiro trimestre de 2012 e uma queda se comparado ao segundo trimestre de 2011.

O saldo da balança comercial do segundo trimestre do ano corrente, que foi de US$ 4,6 bi, apresentou crescimento de 91,26% em relação aos três meses anteriores, mas se colocado lado a lado com os mesmos meses de 2011, sofreu uma queda de 52,74%. (Vide gráfico 1)

As exportações também seguiram o mesmo padrão, porém com proporções diferentes, totalizando US$ 62,1 bi no segundo trimestre de 2012, ampliando-se 12,81% frente ao trimestre imediatamente anterior e sofrendo redução de 7,36% contra o segundo trimestre do ano passado. (Vide gráfico 1)

As importações contrariaram levemente essa tendência, pois mostraram um crescimento mínimo na equiparação ao segundo trimestre de 2011, elas contabilizaram US$ 57,5 bi no acumulado dos meses de abril, maio e junho de 2012, com variações positivas de 9,19% e 0,41% na comparação com o primeiro trimestre do ano corrente e com o segundo trimestre do ano anterior respectivamente. (Vide gráfico 1)

A corrente de comércio, mantendo a tendência, somou US$ 119,6 bi no segundo trimestre de 2012, variando 11,04% frente ao trimestre anterior e caindo 3,78% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. (Vide gráfico 1)

Gráfico 1

image001

Fonte: MDIC/SECEX. Elaboração própria.

EXPORTAÇÕES

As exportações, detalhadas por fator agregado realçam a tendência de crescimento frente ao primeiro trimestre de 2012 e redução frente ao segundo trimestre de 2011.

As exportações de produtos básicos representaram US$ 31,3 bi, mostrando crescimento de 27,47% na comparação com trimestre anterior e redução de 6,63% para o mesmo trimestre do ano anterior. (Vide gráfico 2)

As exportações de produtos manufaturados somaram US$ 21,8 bi, ampliando-se em 1,08% se relacionado ao primeiro trimestre de 2012 e regredindo 7,44% se relacionado ao segundo trimestre de 2011. (Vide gráfico 2)

As exportações de produtos semimanufaturados totalizaram US$ 7,6 bi, evoluindo 0,29% frente aos três meses anteriores de 2012 e uma retração de 16,05% frente ao segundo trimestre do ano passado. (Vide gráfico 2)

As transações especiais registraram US$ 1,5 bi, com crescimento de 4,05% em relação ao acumulado dos meses de janeiro, fevereiro e março de 2012 e redução de 1,28% em relação ao acumulado dos meses de abril, maio e junho de 2011. (Vide gráfico 2)

Gráfico 2

image004

Fonte: MDIC/SECEX. Elaboração própria.

As tabelas a seguir detalham melhor os principais produtos exportados pelo Brasil e seus principais países compradores. (Vide tabelas 1 e 2)

Tabela 1

Exportações – Fator agregado

2º tri/2012

Variação

Variação

Variação

US$ (FOB)

US$

Kg

US$/t

PRODUTOS BÁSICOS

Soja mesmo triturada

8.699.981.418

20,70%

10,76%

8,74%

Minérios de ferro e seus concentrados

8.067.779.218

-21,08%

2,13%

-22,67%

Óleos brutos de petróleo

5.095.944.957

-14,99%

-18,26%

3,46%

Carne de frango congelada

1.688.652.868

-7,92%

2,36%

-10,07%

Farelos e resíduos da extração de óleo de soja

1.675.005.609

-6,67%

-11,05%

4,38%

PRODUTOS MANUFATURADOS

Óleos combustíveis

1.343.823.723

17,70%

16,61%

0,74%

Aviões

1.246.701.857

56,65%

63,15%

-4,78%

Partes e peças para veículos automotores e tratores

933.889.696

-11,17%

-11,62%

0,66%

Automóveis de passageiros

932.561.491

-10,41%

-15,29%

6,02%

Máquinas e aparelhos para terraplanagem, perfuração, etc

595.534.125

6,03%

1,62%

4,14%

 PRODUTOS SEMIMANUFATURADOS

Açúcar de cana em bruto

1.680.626.925

-31,83%

-28,95%

-3,94%

Pastas químicas de madeira

1.132.095.694

-5,78%

2,12%

-7,73%

Produtos semimanufaturados de ferro ou aços

1.077.198.463

-17,37%

-4,33%

-13,30%

Ferro-ligas

742.765.288

12,36%

22,84%

-8,10%

Óleo de soja em bruto

671.037.281

32,77%

37,12%

-3,49%

Fonte: MDIC/SECEX. Elaboração própria.

Tabela 2

Exportações – Países e produtos – (FOB) – US$

2º tri/2012

Variação

CHINA

13.265.735.656

2,78%

Soja mesmo triturada

6.654.546.732

30,83%

Minérios de ferro e seus concentrados

3.564.022.892

-26,89%

Óleos brutos de petróleo

1.158.981.270

-19,31%

ESTADOS UNIDOS

6.796.941.214

0,23%

Óleos brutos de petróleo

1.759.467.719

2,19%

Produtos semimanufaturados de ferro ou aços

456.145.558

-15,52%

Ferro fundido bruto e ferro “spiegel”

221.399.493

-34,26%

ARGENTINA

4.275.993.919

-24,54%

Automóveis de passageiros

772.674.967

-8,41%

Partes e peças para veículos automotores e tratores

451.603.464

-26,16%

Veículos de carga

224.567.608

-35,25%

PAÍSES BAIXOS

3.626.614.666

-4,17%

Óleos combustíveis

473.339.543

148,56%

Minério de ferro e seus concentrados

465.760.417

-37,41%

Farelo e resíduos da extração de óleo de soja

455.808.093

-7,88%

ALEMANHA

1.856.210.426

-19,55%

Café cru em grãos

246.785.683

-37,19%

Minério de ferro e seus concentrados

230.241.042

-26,69%

Farelo e resíduos da extração de óleo de soja

162.524.922

-17,43%

Fonte: MDIC/SECEX. Elaboração própria.

 

IMPORTAÇÕES

            As importações, diferentemente do saldo da balança comercial e das exportações, não apresentaram a mesma tendência dos seus antecessores, pois tiveram comportamento mais heterogêneo. Mesclando queda e crescimento frente ao primeiro trimestre de 2012, como também ao segundo de 2011.

As importações de bens de capital somaram US$ 12,5 bi no segundo trimestre de 2012, com evolução de 8,60% na comparação com o trimestre anterior e de 3,81% para o mesmo período do ano anterior. (Vide gráfico 3)

As importações de bens de consumo duráveis representaram US$ 5,4 bi no segundo trimestre do ano atual, com quedas de 1,70% e 7,34% em relação ao primeiro trimestre de 2012 e ao segundo de 2011, respectivamente. (Vide gráfico 3)

As importações de bens de consumo não duráveis totalizaram US$ 3,9 bi no acumulado dos meses de abril, maio e junho de 2012, apresentando redução de 11,55% frente aos três meses anteriores e um crescimento de 4,27% para os mesmos meses do ano anterior. (Vide gráfico 3)

As importações de combustíveis e lubrificantes contabilizaram US$ 10,9 bi no segundo trimestre do ano corrente e teve resultados positivos se analisados com o primeiro de 2012 e o segundo de 2011, que foram 37,57% e 11,75%, respectivamente. (Vide gráfico 3)

As importações de matérias-primas e produtos intermediários foram US$ 24,8 bi no segundo trimestre de 2012, com ampliação de 6,39% frente ao trimestre imediatamente anterior, e redução de 4,27% para o mesmo trimestre de 2011. (Vide gráfico 3)

Gráfico 3

image006

Fonte: MDIC/SECEX. Elaboração própria.

As tabelas abaixo deixam mais claro os principais produtos importados pelo Brasil e seus países de origem. (Vide tabelas 3 e 4)

Tabela 3

Importações – Categorias de uso – (FOB) – US$

2º tri/2012

Variação

BENS DE CAPITAL

Maquinaria industrial

4.285.394.455

3,64%

Maquinas e aparelhos de escritório, serviço científico

2.034.303.409

4,62%

Partes e peças para bens de capital para indústria

1.730.720.233

-0,03%

Equipamento móvel de transporte

1.643.600.427

31,77%

Acessórios maquinaria industrial

818.888.525

-1,59%

BENS DE CONSUMO DURÁVEIS

Veículos automóveis de passageiros

2.511.532.848

-18,51%

Máquinas e aparelhos de uso doméstico

1.186.656.088

1,32%

Objetos de adorno, uso pessoal e outros

954.452.084

11,24%

Partes e peças para bens de consumo duráveis

296.125.299

7,73%

Móveis e outros equipamentos para casa

247.563.617

6,17%

BENS DE CONSUMO NÃO DURÁVEIS

Produtos farmacêuticos

1.386.673.015

6,26%

Produtos alimentícios

1.064.699.796

-5,51%

Vestuário e outras confecções têxteis

496.564.450

21,00%

Produtos de toucador

243.151.463

-1,28%

Bebidas e tabacos

141.377.235

5,63%

MATÉRIAS-PRIMAS E PRODUTOS INTERMEDIÁRIOS

Produtos químicos e farmacêuticos

6.784.916.223

-2,51%

Produtos minerais

5.157.132.760

-3,42%

Acessórios de equipamentos de transporte

3.529.867.499

2,11%

Produtos intermediários – partes e peças

3.354.765.035

2,79%

Outras matérias-primas para agricultura

2.148.733.681

-21,40%

Fonte: MDIC/SECEX. Elaboração própria.

Tabela 4

Importações – países e produtos – (FOB) -US$

2º tri/2012

Variação

ESTADOS UNIDOS

8.325.460.856

-2,74%

Óleos combustíveis

731.904.842

60,53%

Motores e turbinas para aviação e suas partes

485.567.184

19,94%

Hulhas, mesmo em pó, mas não aglomeradas

343.545.729

-28,27%

CHINA

7.874.114.647

4,24%

Partes de aparelhos transmissores ou receptores

455.132.367

13,30%

Partes e acessórios de máquinas automáticas para processamento de dados

428.872.906

57,94%

Máquinas automáticas para processamento de dados e suas unidades

350.513.845

6,64%

ARGENTINA

3.771.531.244

-11,96%

Automóveis de passageiros

812.928.955

-26,58%

Veículos de carga

501.973.338

43,31%

Trigo em grãos

345.487.157

-13,86%

ALEMANHA

3.741.375.783

-4,63%

Medicamentos para medicina humana e veterinária

270.796.075

-0,49%

Cloreto de potássio

213.381.414

64,13%

Partes e peças para veículos automotores e tratores

150.743.361

-21,17%

CORÉIA DO SUL

2.471.150.542

-10,26%

Automóveis de passageiros

368.597.848

-36,01%

Partes de aparelhos transmissores ou receptores

315.250.154

3,39%

Circuitos integrados e micro conjuntos eletrônicos

175.773.081

1,16%

Fonte: MDIC/SECEX. Elaboração própria.

A tabela a seguir, faz uma relação das importações via preços e quantidade, por isso, está aberta por fator agregado.

Tabela 5

Importações – Fator agregado

2º tri/2012

Variação

Variação

Variação

US$ (FOB)

US$

Kg

US$/t

PRODUTOS BÁSICOS

8.272.147.742

-7,38%

-5,44%

Petróleo em bruto

4.525.050.770

3,07%

3,19%

0,03%

Gás natural

936.939.180

58,08%

17,46%

34,12%

Hulas, mesmo em pó, não aglomeradas

682.976.634

-31,17%

-23,23%

-10,24%

PRODUTOS MANUFATURADOS

46.977.952.515

2,49%

-1,01%

Automóveis de passageiros

2.298.279.084

-20,32%

-22,34%

2,59%

Óleos combustíveis

2.293.900.359

20,40%

14,81%

3,89%

Naftas

1.751.603.315

32,25%

25,59%

3,82%

PRODUTOS SEMIMANUFATURADOS

2.243.633.196

-9,84%

-25,29%

Cloreto de potássio

806.275.429

-18,28%

-30,90%

18,31%

Catodos de cobre e seus elementos

526.771.217

-8,61%

2,68%

-11,18%

Borracha sintética e borracha artificial

214.677.265

21,22%

7,88%

12,22%

Fonte: MDIC/SECEX. Elaboração própria.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TAXA DE CÂMBIO

            A taxa de câmbio média do segundo trimestre de 2012 foi de R$/US$ 1,96. Taxa que apresentou crescimento de 11,06% frente ao primeiro trimestre de 2012, cuja taxa de câmbio foi de R$/US$ 1,77. E na comparação com o segundo trimestre do ano passado, mostrou ampliação de 23,07%, cuja cotação era R$/US$ 1,60. (Vide gráfico 4)

Gráfico 4

image007

Fonte: BCB. Elaboração própria.



Anúncios